DPZ perde um dos seus grandes gênios e fundadores: José Zaragoza.

15 de maio de 2017

O español publicitário e pintor falece nesta madrugada no descanso do lar aos 86 anos. A letrinha Z da DPZ, uma das mais importantes e clássicas agencias de publicidade, acorda com uma imensa tristeza, adeus Zaragoza.

Nascido em Alicante, com infância em Barcelona, gostava mesmo é de viver no Brasil onde trabalhou como fotógrafo e pintor na década de 50. Em 62, fundou um estúdio de design gráfico, o Metro 3, e em 68 foi a vez da DPZ, que se tornaria uma das agências mais respeitadas no mundo, com seus amigos Petit e Roberto Duailib, marcando a história do mercado mundial. Agora além de fotógrafo e artista, ele se tornara publicitário.

Até os anos 60, ser da Criação em qualquer agência de propaganda no Brasil significava ser ignorado pelo Atendimento, menosprezado pelos clientes e desvalorizado pelos empresários do setor.

Em poucas anos a Criação passa a comandar o processo de muitas agências, principalmente das agências lideradas por profissionais como Roberto Duailibi, Francesc Petit, José Zaragoza, Nizan Guanaes, Washington Olivetto, Marcelo Serpa, entre outros. Agora invertida a posição com seus antigos comandantes do Atendimento, que se tornaram, se não caudatários das recomendações e estratégias dos criadores, no máximo, seus parceiros coadjuvantes? Era uma ruptura gradual de posição, fruto da crise de identidade que não servia mais.

A partir daí que se deu início ao movimento da verdadeira criação publicitária brasileira: O Ser de Criação.

Depois da Metro 3 e DPZ, José lançou diversos livros, fundou também o Clube de Criação de SP e participou de várias exposições. Seu último trabalho foi em 2016, com o tema Olympcs, já que sua paixão era o futebol, pintou centenas de quadros sobre esporte.


José Zaragoza, artista plástico, em seu ateliê. (Thomas Arthuzzi/Contigo/Dedoc)



Clássicas campanha DPZ que marcaram a sua vida:

ITAÚ

BOM BRIL

Grupo Souza Cruz

Leite de Rosas

Sadia

FORD